Foto de Luis Ferreira.

Foto de Luis Ferreira.

No final do Verão, os veados Cervus elaphus entram em época de reprodução. Os machos desta espécies tornam-se territoriais para obter direitos de acasalamento sobre as fêmeas que deambulem nos seus territórios. E iniciam a vocalização, dia e noite, de penetrantes bramidos, para tornar a sua presença conhecida às fêmeas e a outros machos – a brama. A brama é um espectáculo natural que em Portugal é particularmente audível no Parque Natural de Montesinho, na Serra da Lousã e no Tejo Internacional. Na Tapada de Mafra, espaço fechado com gestão cinegética, também é possível usufruir deste evento anual. Já a Tapada de Vila Viçosa é de acesso muito restrito.

Selo dos CTT

Selo dos CTT

Este ano, a produção de landes/bolotas pelas várias espécies de carvalho da nossa vegetação parece ter ajudado a anteceder a época de reprodução do veado, fornecendo mais recursos aos machos e fêmeas – aos machos para poderem lutar entre si e imporem-se, às fêmeas para ganharem reservas energéticas essenciais ao Inverno e gravidez. A variação de produção de landes é conhecida, e a sua abundância este ano promete uma época de brama particularmente intensa.

Para mais informação, sugiro a leitura de um artigo no Fauna Ibérica sobre este assunto e outro no portal do ICNB. Poderão também ver um vídeo RTP feito em Montesinho.

A empresa GoOutdoor organiza dia 19 de Setembro, na Serra da Lousã, uma oficina de um dia sobre os veados, com visita de campo. Também em Setembro, durante os fins-de-semana, entre as 21h00 e as 24h00 a Tapada de Mafra organiza visitas nocturnas focadas na brama. Uma visita ao Monte Barata, propriedade gerida pela Quercus para a conservação da natureza no Tejo Internaciobal é também uma aposta segura para observar e ouvir os veados.

A GoOutdoor organiza uma oficina para observação da brama.

A GoOutdoor organiza uma oficina para observação da brama.