Cidadania


Seguir a ligação da imagem para imprimir o programa (.pdf).
:
Dias 25 e 26 de Setembro de 2010 (Sábado e Domingo) a Loja de História Natural irá desenvolver o seu primeiro programa de actividades, a decorrer durante as Jornadas Europeias de Património. O objectivo desta iniciativa é contribuir para chamar a atenção para o Património Vivo como parte integrante e enriquecedora do nosso património. Em especial, queremos focar a nossa atenção no bairro em que se insere a loja, no Príncipe Real, e contribuir para o conhecimento do seu riquíssimo espólio de árvores e outras plantas de interesse histórico e científico que compõem o Jardim Botânico da Universidade de Lisboa e o Jardim França Borges.
:

No programa que apresentamos aqui, incluímos uma visita guiada ao Jardim Botânico no Sábado de manhã, promovida pela Liga dos Amigos do Jardim Botânico para chamar a atenção para a ameaça real ao jardim que vem do Plano de Pormenor do Parque Mayer, defendido pela Câmara Municipal de Lisboa (CML). A mesma CML que em 2009/2010 deu um golpe duríssimo no Jardim França Borges, mostrando não ter a sensibilidade necessária para gerir os seus espaços verdes de forma equilibrada e respeitadora dos seus valores. Faremos por isso uma visita ao Jardim França Borges, em colaboração com os Amigos do Príncipe Real, para dar o conhecer o riquíssimo mas ameaçado espólio arbóreo deste jardim.

No Sábado, 25 de Setembro de 2010, promovemos também um almoço convívio para bloguistas e leitores de Blogs de Ambiente, a decorrer entre as duas visitas no Sábado.

Já no Domingo, organizamos de manhã, em colaboração com o Mar Energético, uma visita guiada ao Jardim Botânico sobre a o tema da gravidez e a sua relação com as plantas, e à tarde promovemos uma Oficina de Desenho de Campo com o ilustrador Filipe Franco.

Hoje é um dia essencial para o futuro do Jardim Botânico da Universidade de Lisboa. Podem ver informação sobre esta questão, que hoje, 30 de Junho de 2010, vai a votos às 15h na CML, na forma de “Plano de pormenor do Parque Mayer, Jardim Botânico e zona envolvente”:
1
– no blog da Liga dos Amigos do Jardim Botânico
– no Público de hoje
1
Só um grande movimento cívico poderá moderar este assalto concertado ao Jardim Botânico da Universidade de Lisboa, que corre o risco de se tornar num jardim de recreio, muito mais pobre em biodiversidade e interesse botânico,  de menor área, tornado em logradouro de interesses comercias, fechado à circulação de ar por prédios cada vez mais altos á sua volta.
1
Irei colocar mais ligações sobre esta questão conforme houver desenvolvimentos. Mas, por favor, informem-se sobre o que se passa, começando pelos links acima. Mesmo se a vossa opinião venha a ser contrária. Está em jogo Património Nacional. Toda a área perdida do Jardim Botânico nunca mais será recuperada, dêem lá a volta que as autoridades e projectistas queiram dar à questão.

Foto por Jorge Teixeira Pinto

Decorreu em Lisboa, no passado Domingo, 31 de Janeiro de 2010, pelas 11h30, uma visita guiada ao Jardim França Borges, conhecido como Jardim do Príncipe Real. A visita teve a duração de 1h15 e teve como objectivo dar a conhecer à população um pouco mais sobre a história e árvores do jardim, ao mesmo tempo que se explicava as razões que leva um grupo de cidadãos de que faço parte, formado espontaneamente e que se denominou “Amigos do Príncipe Real”, a opor-se às obras em curso.

A aderência a esta visita foi uma surpresa. Várias dezenas de pessoas – podem-se contar mais de 70 pessoas numa das fotos tiradas durante a visita – ouviram com atenção o que foi sendo dito, fosse sobre o arvoredo em si, fosse sobre o conteúdo do projecto e a forma como está a decorrer a sua execução.

Enquanto guia da visita, tentei que a mesma fosse o mais interessante e agradável para todos, ao mesmo tempo que se expunham, uma a uma, as razões que me levam a mim, e muitas outras pessoas, no pleno usufruto dos seus direitos enquanto cidadãos, a questionar e criticar o que até agora tem acontecido em relação a estas obras.

Para já fica o registo fotográfico, feito por vários fotógrafos. Em breve publicarei um texto que dará continuidade à minha primeira intervenção sobre esta questão, intervenção essa que considero ainda muito pertinente e que pode ser lida aqui.

Foram, também, publicados dois artigos de reportagem sobre esta visita, um por Cristiano Pereira no Jornal de Notícias e outro por Alexandre Soares no i.

Foto por António Branco Almeida

Foto por Jorge T. Pinto

Foto por Jorge T. Pinto